Alimentação

Alimentação, uma questão de hábito

mulher segurando uma maçã e uma rosquinha

 Que atire o primeiro tomate quem nunca começou uma reeducação alimentar e desistiu depois de três dias. Ou ainda, quem vive dizendo para si mesmo “segunda-feira eu começo” e começa mesmo Mas na quarta-feira já está com o pé na jaca! Mudanças são desconfortáveis e necessitam de muita força de vontade, não é mesmo? 

          Mas, vou te contar um segredo: tão importante quanto a força de vontade é a disciplina. Para transformar a alimentação em um hábito saudável, depois de estar consciente sobre ela (como falamos no outro post) é preciso foco e determinação no objetivo, porque teu corpo vai tentar vencer tua mente nesse processo.  

           Os alimentos e bebidas que ingerimos atuam como nutrientes ou como tóxicos do nosso organismo, dependendo de sua origem, composição e quantidade. Se são processados e industrializados, quanto mais você evitar, melhor. Geralmente esses alimentos possuem alto teor de conservantes, gorduras, sódio e outras substâncias maléficas. Dê preferência, sempre que puder, a alimentos crus, naturais e orgânicos. Ou então que possam ser preparados de forma saudável. Eles são ricos em nutrientes, vitaminas e aminoácidos essenciais e estão disponíveis de forma natural. E reforçando o que já falamos no post anterior também: não tem problema você adorar miojo e comer uma vez no mês, só não permita que ele seja sua janta ou almoço todos os dias 😊 

     Renuncie hábitos não saudáveis 

Essa questão das propriedades dos alimentos é só para lembrarmos o que já sabemos, mas ignoramos às vezes… O foco maior aqui é a mudança de hábito. Certo, eu sei o que quero mudar, eu sei o que preciso fazer e início o processo, mas não consigo manter. Por quêO teu organismo está habituado a receber certos tipos de alimentos, em grandes quantidades ou com frequência (açúcares, gorduras, sais, farinhas, carboidratos etc ). Isso gera uma dependência e, se teus hábitos alimentares estão ligados à um comportamento de compensação emocional, ela se torna ainda maior. Aqui está a importância de observar e perceber os sentimentos e respostas emocionais durante as refeições.  

          A partir do momento que você não fornece mais esses alimentos ou diminui a quantidade e frequência, teu corpo entra em processo de “abstinência – sim, parece que estou escrevendo sobre drogas… Mas é quase isso! – e vai começar a mandar informações para teu cérebro alertando e pedindo mais. Caso tua mente não esteja alerta e focada, ela vai ceder e você vai acabar comendo o que não precisa. É nesse insight que reside a força da disciplina.  

          O psicólogo Jeremy Dean, em seu livro sobre hábitos e mudanças de hábitos, cita estudos que comprovam que são necessários, em média, 66 dias para nos habituarmos a uma nova rotina. Claro, isso considerando a magnitude da exigência na mudança e a adaptação de cada pessoa. Assim, vamos tomar um exemplo para facilitar a compreensão. Imaginemos que você come açúcar refinado ou algum doce que o contenha e queira parar de comer ou trocá-lo por um outro mais saudável. Se você se conhece a ponto de saber que conseguirá fazer a mudança tranquilamente, ótimo, vai em frente! Se você já tentou outras mudanças de hábitos e não teve êxito, é provável que sua mente já esteja com um pezinho na negação. Mas vamos lá… Digamos que você come açúcar (de alguma forma) todos os dias. Comece diminuindo a frequência de ingestão para apenas 3 dias na semana. Quando estiver acostumado, diminua para uma vez na semana. E se conseguir, posteriormente elimine o consumo.  

Perceba a mudança e vibre por ela

          Nas primeiras semanas de cada fase o processo vai ser mais difícil, porque teu organismo estará em desintoxicação. A vontade de comer doce será maior e terá consequências no humor também. Novamente: mantenha a disciplina, por mais difícil que seja. Assim que passar essa vontade você estará mais motivado e consequentemente orgulhoso(a) de si por ter conseguido. Caso não resista, tente trocar o doce artificial por uma fruta doce.  

Várias frutas coloridas

Alimentação, uma questão de hábito

          Essa transformação gradual funciona para qualquer hábito que você deseja mudar, desde que esteja consciente, focado(a) e disciplinado(a). Importante: durante o processo perceba e comemore suas conquistas, valorize os resultados da sua dedicação e os utilize como combustível para continuar. Ao fim, quando atingir seu objetivo, observe como se sente em relação a isso e como adquiriu resiliência. 

          Finalizo ressaltando que: mudanças são processos e esses levam tempo. Seja paciente consigo e respeite suas dificuldades e limites. O mais importante nisso tudo é que você consiga estabelecer uma relação saudável com os alimentos e que isso seja prazeroso. Que você possa escolher, hoje, comer um doce, uma batata frita, um miojo Mas que não seja refém deles todos os dias. 

 

MIKELEN VICELLI 

Estudante de Psicologia fazendo refeições com mais propósito. 

 

Baseado em: Quanto tempo leva até algo se transformar em um hábito?

 

Para conhecer um pouquinho dos nossos produtos, e aumentar a qualidade de vida, acesse: raeasy.com

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 3 =